Armamento pesado apreendido com o suspeito (Foto: Divulgação / Polícia Civil do Paraná).
Armamento pesado apreendido com o suspeito (Foto: Divulgação / Polícia Civil do Paraná).

Suspeito de liderar roubo a bancos em Palmeira é preso em São José dos Pinhais

 

Suspeito de ser um dos líderes do grupo criminoso que praticou o roubo a trê agências bancárias em Palmeira, na madrugada de 2 de março, Célio Afonso da Silva, 42 anos, conhecido como ‘Coelho’, foi preso na segunda-feira (26), em São José dos Pinhais. Segundo a Polícia, ele integra o Primeiro Comando da Capital (PCC), facção criminosa que atua dentro e fora de presídios em vários estados do país.

As investigações vinham acontecendo há meses, mas a Polícia chegou mais perto do paradeiro de Coelho quando um dos integrantes da quadrilha que ele atua perdeu um celular, na cidade de Guaraqueçaba, no Litoral do Paraná.

O delegado Rodrigo Brown de Oliveira, chefe do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), em entrevista coletiva, nesta terça-feira (27), contou que os trabalhos de investigação exigiram inteligência, “justamente, pela alta periculosidade do procurado”, afirmou o delegado.

Essa quadrilha, que era chefiada pelo Coelho, vinha dando muito trabalho para as autoridades. Ele já é um criminoso de longa carreira policial, responde a mais de 30 processos, tem condenações que superam 34 anos de reclusão, sem contar outros processos. Ele foi resgatado da Penitenciária Estadual de Piraquara em janeiro do ano passado, quando houve uma explosão de um muro, e uma facção criminosa resgatou os principais membros da quadrilha. De lá para cá foram inúmeros ataques a caixa eletrônicos e carros-fortes”, relatou o chefe do Cope.

A polícia atribui a Coelho a participação em grandes eventos criminosos, como a tentativa de assalro aos carros-fortes na BR 376, próximo a Witmarsum, situação em que dois vereadores da Câmara de Barra do Jacará foram baleados. Há suspeita de que Coelho participou de assaltos a bancos em Palmeira, Pitanga e Guaraqueçaba, bem como do sequestro de gerente em Rio Branco do Sul, entre outras.

Uma situação que chamou atenção aconteceu em fevereiro, na região do Bracatinga, no Pilarzinho, em Curitiba, quando ele teria fuzilado três pessoas. Duas morreram com tiros de fuzil 47. Segundo a Polícia, Coelho e outro comparsa praticaram vilipêndio, indo até o cemitério com o objetivo de levar o corpo de um a das vítimas até na ponte do Pilarzinho para amedrontar as facções rivais. “É um bandido que vinha dando bastante trabalho para a polícia, foram meses de investigação e conseguimos pegá-lo quando andava pelas ruas, em São José dos Pinhais, atual esconderijo”, detalhou o delegado.

Prisões

Desde 2007, Coelho já foi preso quatro vezes, última pelo Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial (Tigre) da Polícia Civil, pelo sequestro de um gerente de banco em Matinhos, Litoral do Paraná. Ele foi um dos arrebatados em janeiro do ano passado da Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP), conforme explicou o delegado.

A polícia continua nas investigações para tentar apreender um número maior de armas, drogas e outros aparatos criminosos. “Todos os crimes estão sendo investigados em conjunto com o Bope, com a Polícia Federal e Polícia Militar”, finalizou o delegado.

Comentários

comentários

Publicidade

Curta nossa Página