Foto: Reprodução / Imagem ilustrativa
Foto: Reprodução / Imagem ilustrativa

Sanepar tem cinco dias para explicar à Justiça pedido de reajuste da tarifa de água

 

Palmeiras banner superior

 

A juíza Patrícia Gomes Bergonse, da 5ª Vara de Fazenda Pública de Curitiba, deu cinco dias para a Sanepar se manifestar sobre o pedido de reajuste de 12,13 % da tarifa de água e esgoto. O despacho faz parte da ação civil pública protocolada pelo deputado estadual Soldado Fruet (PROS) questionando o aumento. A partir do momento em que a Sanepar for intimada começa a correr o prazo de cinco dias.

O deputado destaca três argumentos para justificar a ação. Segundo ele, o pedido está muito acima da inflação registrada nos últimos 12 meses – que foi de 4,58 % (IPCA), a Sanepar possui excelente situação financeira distribuindo lucros seguidos aos acionistas e tem a exclusividade da prestação do serviço em 86% das cidades paranaenses.

Uma empresa que se dá ao luxo de dobrar os dividendos pagos aos seus acionistas, comprovadamente está em gozo de excelente situação financeira, não justificando qualquer aumento na tarifa, não podendo se falar em reequilíbrio econômico”, diz trecho da ação proposta pelo parlamentar do PROS.

Tribunal de Contas

Da mesma forma, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) também questiona o reajuste. A Sanepar e a Agepar têm 48 horas para darem explicações sobre o aumento de 12,3%. A Sanepar, que pediu o aumento, e a Agepar, que o autorizou, devem encaminhar as respostas até segunda-feita (13). O conselheiro Fernando Guimarães poderá acatá-las ou rejeitá-las liminarmente e, eventualmente, impedir o aumento. A liminar, no entanto, terá ainda de ser submetida à decisão final do Pleno do TCE na sessão de quarta-feira (15).

Comentários

comentários

Publicidade

Curta nossa Página