Foto: Reprodução / Google Street View
Foto: Reprodução / Google Street View

Prefeitura aluga imóvel para instalar Vigilância Sanitária e Centro de Zoonoses

 

Uma antiga demanda de uma parcela da população está em vias de ser atendida nos próximos dias pela Prefeitura de Palmeira. No que depender de espaço físico, já não existe problema para que o Centro de Zoonoses entre em funcionamento. No Diário Oficial do Município desta quarta-feira (4) foi publicado o contrato de locação de imóvel pela Prefeitura, localizado no Centro da cidade, na rua Jesuíno Marcondes, para abrigar não só o Centro de Zoonoses como também a Vigilância Sanitária Epidemiológica.

Com vigência de 12 meses, ou seja, até o dia 2 de outubro de 2018, o contrato refere-se a uma casa na rua Jesuíno Marcondes, 635. Mediante termo aditivo, é facultada a prorrogação do contrato pelo prazo de até 60 meses, ou cinco anos. Pela locação, a Prefeitura pagará R$ 1.500,00 mensalmente, segundo o contrato, que foi firmado após processo com dispensa de licitação.

Na sua edição do mês de setembro, a revista Geraes publicou matéria tratando de projeto de lei que tramita na Câmara Municipal há quase cinco meses, que dispõe sobre a criação, guarda, uso e transporte de animais domésticos no município. A proposta prevê que todos os animais domésticos deverão ter registro junto ao órgão municipal responsável pelo controle de zoonoses. Como hoje não existe tal órgão, o contrato de locação do imóvel para abrigar o Centro de Zoonoses indica que ele deve entrar em funcionamento em breve.

Quanto ao projeto de lei, na sessão de terça-feira (3) da Câmara Municipal foram aprovados requerimentos das comissões de Constituição, Justiça e Redação e de Educação, Cultura, Bem Estar Social e Meio Ambiente requerendo prazo de mais 30 dias para análise da proposta. A votação somente poderá ser feita após emissão de pareceres por parte destas comissões.

Controle

Zoonoses são doenças transmitidas de animais para os seres os humanos. A base de ação do Centro de Controle de Zoonoses, portanto, está no controle da população de animais domésticos (cães e gatos, principalmente) e de animais sinantrópicos (gambás, ratos, morcegos). A partir desse controle se torna muito mais fácil prevenir e combater tais doenças.

O Centro de Zoonoses, entre outras atribuições, atua no recolhimento de animais, fazendo o resgate daqueles que estejam em situação de rua e apresentem risco iminente de causar acidentes (como atropelamento) ou transmitir doenças. Isso inclui todos os animais, desde vacas e cavalos até cães e gatos. Da mesma forma, também disponibiliza vacinação antirrábica para prevenir e manter a erradicação da raiva no país.

Cabe ainda ao Centro de Zoonoses o controle de animais sinantrópicos, que são conhecidos como “invasores” de residências, que se aproveitam, de alguma forma, da vida urbana para sobreviver. Ratos, capazes de transmitir leptospirose, e mosquitos da dengue são os principais entre os combatidos.

O Centro de Zoonoses também recebe reclamações de todo tipo relacionada à vida animal. Além de receber, também tem por atribuição verificar informações como o mau trato de animais de estimação (cães e gatos) e usados para trabalho (cavalos), entre outros. Faz o monitoramento da população de animais e a possível interferência que ela tenha na vida das pessoas (doença ou perigo), bem como o surgimento de possíveis epidemias. E, ainda, atua na educação, informando e ensinando a população sobre doenças graves e como elas devem ser tratadas e evitadas.

Comentários

comentários

Publicidade

Curta nossa Página