Foto: Reprodução / Imagem ilustrativa
Foto: Reprodução / Imagem ilustrativa

Palmeira busca atrair maior empresa de energia solar de película fina do mundo

 

jornal da cruzeiro

 

O prefeito de Palmeira, Edir Havrechaki (PSC), e o secretário de Indústria e Comércio da Prefeitura de Palmeira, Jaudeth Ramos Hajar, encontram-se em São Paulo nesta terça-feira (18), para participar de uma reunião com diretores do grupo multinacional Hanergy, a maior empresa de energia solar de película fina do mundo.

Havrechaki e Hajar apresentarão à empresa o programa Paraná Competitivo, que contempla uma série de medidas, como a dilação de prazos para recolhimento do ICMS, incentivos para melhoria da infraestrutura, comércio exterior, desburocratização e de capacitação profissional, com objetivo de tornar o estado mais atrativo para novos empreendimentos produtivos que gerem emprego, renda, riqueza e desenvolvimento sustentável.

De acordo com Hajar, um primeiro contato já foi feito com os diretores da Hanergy, durante a missão comercial na China, no final do mês de agosto. “Conversamos com eles e apresentamos o município. Agora vamos levar a eles mais informações e detalhes para auxiliá-los na escolha de encontrar uma cidade para instalar sua planta na América do Sul. A TBEA China e a CED Prometheus também manifestaram apoio para a Hanergy se instalar em Palmeira”, destacou o secretário.

O Programa Paraná Competitivo, que será apresentado aos diretores, é um dos principais atrativos para investimentos do Paraná. Por meio de benefícios bem estruturados e sustentados por lei, o Programa apoia tanto o novo investidor quanto empresas já estabelecidas que promovam expansão em seus negócios. A Agência Paraná de Desenvolvimento é a maior aliada do investidor para ter acesso aos meios e informações para utilizar esses incentivos. O programa foi criado no início de 2011 para reinserir o Paraná na agenda dos investimentos locais, nacionais e internacionais.

Os incentivos pleiteados são avaliados de forma técnica pela Agência Paraná de Desenvolvimento, a partir de um relatório elaborado que leva em conta as prioridades do Estado, como: tipo do investimento, setor econômico, número de empregos gerados, impactos econômicos, sociais e de meio ambiente, adensamento da cadeia produtiva e grau de inovação. Após a avaliação técnica da APD o processo passa, então, para análise da Secretaria de Estado da Fazenda, onde é decidida a concessão ou não dos incentivos, bem como o prazo e carência.

Demanda

O prefeito destaca que um dos trunfos do município para atrair o grupo chinês a instalar unidade em Palmeira é a demanda por painéis solares que existirá a partir da instalação de aproximadamente 200 usinas de energia solar (fotovoltaica), em investimento de U$$ 100 milhões (R$ 415 milhões) através da TBEA China e a CED Prometheus China, junto com a brasileira FAAD Energy.

Seria fantástico para o município atrair uma das maiores empresas do mundo no ramo de energia solar. Além de todo o desenvolvimento tecnológico que ela trará ao município, ela também vai gerar empregos direta e indiretamente, tanto na construção da planta, quanto na sua operação e produção”, disse Havrechaki.

Comentários

comentários

Publicidade

Curta nossa Página