Foto: Revista Geraes
Foto: Revista Geraes

Jovem Guarda ainda faz sucesso nas ondas do rádio em Palmeira

 

Revista Geraes

No dia 8 de setembro de 2007, o programa “Túnel musical do tempo” foi ao ar pela primeira vez pelas ondas da Rádio Cruzeiro do Sul FM. Apresentado por Luiz Gastão Gumy, há dez anos faz viagens semanais ao tempo da Jovem Guarda. É um revival do movimento musical dos anos 1960 no Brasil, que teve como seu principal expoente Roberto Carlos e revelou músicos como Erasmo Carlos, Wanderléa, Rosemery, Ronnie Von, Jerry Adriani, Martinha e outros, assim como conjuntos como Os Incríveis, Renato e seus Blue Caps e Golden Boys.

Naquele primeiro “Túnel musical do tempo”, os estúdios da Cruzeiro do Sul estavam instalados na rua Vicente Machado, próximo ao local onde atualmente funciona a emissora. O locutor conta que foi convidado pelo diretor da rádio, João Alberto Gaiola, a fazer uma programação especial da Jovem Guarda, pois ele sabia do seu acervo de discos de artistas daquele movimento. “A primeira vez foi num clima de muito nervosismo e emoção, entrei no ar homenageando a Jovem Guarda”, conta Luiz Gastão.

Lembro que quem fez a sonoplastia do programa naquele dia foi o Tiago Franco de Souza, de Ponta Grossa. Ele ficou na função por muito tempo, visto que também comandava uma programação na emissora. Quando ele foi embora, assumiu a sonoplastia o Michel Nery”, relata o apresentador.

Nas vésperas de iniciar o programa na Rádio Cruzeiro do Sul, Luiz Gastão foi a Ponta Grossa buscar informações e orientações com o locutor Edson Ribeiro, que apresentava na Rádio Clube Ponta Grossense AM um programa líder de audiência chamado “Parada passada”, levado ao ar todos os domingos, às 10 horas. Ouvinte assíduo do programa, o futuro locutor embarcou no ônibus em Palmeira e foi até os estúdios da emissora ponta-grossense conversar com o locutor profissional. “Ele me passou muita confiança, me deu todo o incentivo, coragem, detalhes de como eu teria de fazer, como eu teria de abrir meu programa, como chamar o ouvinte, falou sobre a Jovem Guarda. Com isto, eu fui muito feliz. Passados todos esses dez anos, hoje meu programa é líder de audiência graças àquele grande amigo Edson Ribeiro, falecido em abril de 2016”, relata o apresentador do “Túnel musical do tempo”.

Luiz Gastão conta que desde a primeira apresentação vem mantenho todos os sábados o programa no ar, começando ao meio-dia e terminando uma hora depois, sempre com audiência crescente. O sucesso ele explica: “as músicas de qualidade que tocam no meu horário agradam o ouvinte e sei que ele é a razão do meu trabalho e eu o faço com muito carinho”.

Geralmente sozinho no estúdio, pois hoje já faz a sonoplastia, Luiz Gastão revela que chega a chorar em determinados momentos. Porém, diz que também ri e sente saudades. “Às vezes não sei do que, porque a cada música vem uma marca do meu passado e eu penso que estou estendendo isto para todos”, afirma. As músicas que toam no programa, como o apresentador destaca, mexem com a sensibilidade do ouvinte, transportando-o para um passado que foi somente dele, que curtiu aquele momento. “Aquela música num horário certo, num lugar certo, fazendo com que ele se transporte para lugares onde ele era feliz e não sabia.… ops, quem sabe até sabia!”, fala rindo o locutor.

Saudade

Luiz Gastão conta que, certa feita, um ouvinte que mudou-se de outra cidade para Palmeira, ouviu o programa e, em determinada música, telefonou para dizer: “Cara, você mexeu com a minha sensibilidade. Eu me separei de minha mulher há muitos anos, mas essa música era nossa! Dançamos várias vezes. Nós éramos felizes, mas o destino quis assim, nos separamos, mas depois dessa música a saudade bateu e eu acho que vou voltar à Curitiba para procurá-la. Eu não posso mais continuar vivendo na solidão!”.

Em meio a histórias e acontecimentos que marcaram a sua trajetória de dez anos em frente aos microfones da Rádio Cruzeiro do Sul FM, revivendo dos “bons tempos” da Jovem Guarda, Luiz Gastão diz sentir-se realizado. Ao mesmo tempo, faz agradecimentos aos diretores da emissora pela oportunidade que deram a ele. “Enfim, ali somos todos felizes, já por dez anos”, arremata.

 

Comentários

comentários

Publicidade

Curta nossa Página