Foto: Reprodução / Imagem ilustrativa
Foto: Reprodução / Imagem ilustrativa

Governo do Paraná decreta intervenção nas concessionárias de pedágio

 

Palmeiras banner superior

 

O Governo do Paraná anunciou nesta quinta-feira (4) que vai fazer uma intervenção nas concessionárias de rodovias do estado. Após os escândalos envolvendo os contratos do pedágio do Paraná, que vieram à tona pela Operação Integração 2, na 55ª fase da Operação Lava Jato, o governo pretende adotar medidas em relação às seis empresas que têm as concessões das rodovias.

A governadora Cida Borghetti (Progressistas) decretou intervenção administrativa nas concessionárias dos seis lotes de pedágio do Anel de Integração do Paraná e determinou que coronéis da Polícia Militar atuarão como braço do governo nas sedes das empresas. Na prática, entretanto, nada muda para o usuário que passar pelas cancelas, uma vez os valores das tarifas ficam mantidos.

A intervenção foi decretada, segundo o governo, para facilitar o acesso a informações solicitadas pela Justiça Federal no âmbito da Operação Integração, que revelou o esquema de corrupção envolvendo as concessionárias e agentes políticos ligados ao DER (Departamento de Estradas de Rodagens) do Paraná e da Agepar (Agência Reguladora do Paraná).

Outro objetivo da intervenção é impedir novos atos ilegais, de acordo com o informado pelo controlador-geral do Estado, Carlos Eduardo de Mouro, em entrevista coletiva no fim da manhã desta quinta, no Palácio do Iguaçu, em Curitiba. Ele disse que deve ser formado um conselho de usuários das rodovias federais concessionadas.

A intervenção foi decretada com base em um relatório da Controladoria-Geral do Estado do Paraná que indicava a ausência de controle sobre as atividades das concessionárias – não há sequer a garantia de que os veículos que passam pelas praças de pedágio sejam todos registrados, segundo o controlador.

Comentários

comentários

Publicidade

Curta nossa Página