EXAMES CONFIRMAM QUE PROFESSORA DE PALMEIRA MORREU POR CONTAMINAÇÃO COM VÍRUS H1N1

Exames laboratoriais confirmam que a professora Leila Macedo Ribas, 50 anos, moradora de Palmeira, que morreu na madrugada do último sábado (1º), no Hospital Regional de Ponta Grossa, foi vítima do vírus tipo Influenza subtipo H1N1. Os resultados dos exames realizados pelo Laboratório Central do Estado foram divulgados no final da tarde desta terça-feira(4).

De acordo com nota emitida pela Secretaria de Saúde de Palmeira, na segunda-feira (3), quando Leila deu entrada no Pronto Atendimento da Santa Casa, na quarta-feira da semana passada, dia 29 de janeiro, “com os sintomas apresentados pela paciente, a equipe médica iniciou o atendimento seguindo as instruções do protocolo do Ministério da Saúde para H1N1”.

A paciente ficou internada em isolamento em Palmeira até a quinta-feira (30), quando foi transferida para o Hospital Regional de Ponta Grossa, que é hospital de referência na área da 3ª Regional de Saúde. Ela ficou na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sob cuidados médicos com base no protocolo do Ministério da Saúde, mas não resistiu à gravidade do quadro infeccioso, indo a óbito.

A professora havia retornado recentemente de viagem a Orlando, nos Estados Unidos, junto com familiares. O marido e o filho da professora também apresentavam contaminação pelo vírus Influenza, foram internados em isolamento, receberam medicação e apresentam quadro de recuperação satisfatória. No entanto, não é seguro afirmar que tenham sido contaminados fora do Brasil, uma vez que circularam, tanto no país como fora, em ambientes frequentados por grande números de pessoas.

Comentários

comentários

Publicidade

Curta nossa Página