Foto: Divulgação / AS-PTA
Foto: Divulgação / AS-PTA

Estudantes e agricultores de Palmeira participam de Feira de Sementes Crioulas

 

Com a participação de estudantes do Colégio Agrícola Estadual Getúlio Vargas, dos cursos de Agroecologia e Técnico em Agropecuária, e diversos agricultores familiares de Palmeira, foi realizada na sexta-feira (11) e sábado (12), em Teixeira Soares, a 15ª Feira Regional de Sementes Crioulas e da Agrobiodiversidade. Na ocasião, aconteceu paralelamente a 1ª Festa dos Guardiões das Sementes. Segundo os organizadores, cerca de 3 mil pessoas participaram do evento, a grande maioria agricultores familiares de municípios do Paraná, de Santa Catarina e de outros estados.

No primeiro dia da Feira foi realizado trabalho com estudantes municipais, ocasião em que mais de 600 alunos de escolas da rede municipal puderam conhecer o trabalho realizado pelos ‘guardiões das sementes’. Com apoio de professores, eles fizeram o resgate das sementes crioulas de todas as espécies existentes no município, destacando em exposição na Feira mais de 400 tipos de sementes resgatadas junto aos seus pais e familiares, incluindo variedades de feijão, milho, sementes de purungo, buchas, hortaliças, entre outras.

Um seminário aberto a todos os interessados tratou de Estratégias para a Sustentabilidade da Agricultura Familiar, com a apresentação em quatro momentos, sob coordenação de Gabriel Fernandes Bianconi, assessor técnico da AS-PTA do Rio de Janeiro. A professora Silvana Moreira dos Santos, do Instituto Federal do Paraná (IFPR) de Irati, apresentou o tema a “História da agroecologia na região Centro Sul do Paraná”; o professor Pedro Wirech, da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), falou sobre as estratégias de parcerias e trabalhos com agroecologia na região; Naiara Bittencourt, da Terra de Direitos, de Curitiba, discorreu sobre as legislações sobre as sementes crioulas, transgênicos e impactos políticos da situação atual em questão as sementes crioulas; e a Guardiã das Sementes Crioulas, Iraci de Lima, do Assentamento Mimo, de Irineópolis (SC), falou sobre a valorização e importância de cultivar e multiplicar as sementes crioulas na propriedade familiar.

Ainda na programação do primeiro dia aconteceram apresentações culturais, com músicas interpretadas por cantores da região, agricultores em especial, mantendo a cultura tradicional e local da roda de viola, acompanhada com poesias vindas da tradição familiar, tendo como tema as sementes crioulas.

No segundo dia da Feira, presença de mais de 100 expositores Guardiões das Sementes Crioulas do Brasil, em destaque para as regiões Centro Sul do Paraná e Planalto Norte Catarinense, com a participação de 30 caravanas de vários municípios da região e do Brasil.

Antes da abertura oficial da Feira, no sábado, aconteceram apresentações culturais como a mística dos impactos que estamos vivendo, realizada por membros do Coletivo de Jovens de São João do Triunfo, além de apresentações de grupos folclóricos do município de Teixeira Soares. Na abertura oficial, representantes de entidades do setor e autoridades manifestaram-se. Em defesa das famílias agricultoras, o prefeito Lucinei Carlos Thomaz fez seu pronunciamento e formalizou o programa local de compra de alimentos agroecológicos para a merenda escolar. Em seguida, aconteceu a leitura da carta política de intenção da Feira Regional em defesa e valorização dos direitos das sementes crioulas mantidas pelos guardiões das sementes e repúdio ao uso de sementes transgênicas e agroquímicos na produção de alimentos.

Riqueza

Segundo o assessor técnico da AS-PTA, André Emílio Jantara, o que mais chamou a atenção no evento foi a enorme riqueza da biodiversidade exposta nos dois dias. “Uma riqueza jamais vista nas feiras anteriores, neste que foi considerada a maior feira de sementes já realizada em nossa região, mostrando que a semente crioula existe e predomina na mão das famílias agricultoras”, afirmou ele.

Jantara destacou a participação dos estudantes de Bela Vista do Toldo (SC), do Colégio Agrícola de Palmeira, do curso de Agroecologia do IFPR de Irati e também do Grupo Coletivo de Jovens de São João do Triunfo. Ele informou qu todos tiveram o espaço de visitação nos estandes técnicos apresentados por estudantes, técnicos e professores ligados a universidades estaduais, como o caso da UEPG, através do Laboratório de Mecanização Agrícola (LAMA), do IFPR de Irati, da Unicentro de Irati, do Projeto de Diversificação a Cultura do Tabaco, da AS-PTA Agricultura Familiar e Agroecologia e do Centro Paranaense de Referência a Agroecologia (CPRA).

Comentários

comentários

Publicidade

Curta nossa Página