Foto: Divulgação / Prefeitura de Palmeira
Foto: Divulgação / Prefeitura de Palmeira

Conselhos respaldam dispensação de medicamentos por profissionais de enfermagem

 

A Secretaria de Saúde da Prefeitura de Palmeira realizou reunião, na quinta-feira (14), com profissionais das áreas de enfermagem e farmácia, para discutir a nova determinação que obriga a presença de farmacêuticos em todos os locais com dispensação de medicamentos. A medida afeta o município em unidades de saúde que realizam a dispensação de medicamentos aos pacientes, atualmente realizada por profissionais de enfermagem.

A reunião foi convocada para abordar o tema e sensibilizar os servidores municipais a continuarem realizando a dispensação de medicamentos, visto que o município ainda não foi notificado pelo Conselho Regional de Farmácia do Paraná (CRF-PR), medida que deverá acontecer no mês de julho. Após a notificação o Município terá que enviar um plano de ações ao Conselho e terá quatro anos para se adequar.

Porém, os servidores municipais ficaram receosos ao serem orientados pelo Sismup a interromperem imediatamente as atividades relacionadas a dispensação de medicamentos. Para tranquilizar os profissionais, os Conselhos deram respaldo ao Município para que ações sejam mantidas como estão durante o período de transição.

O encontro teve a presença da secretária de Saúde, Fabiani Bach, do vice-presidente do CRF-PR, Márcio Augusto Antoniassi, da presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Paraná (Coren-PR), Simone Peruzzo, do presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Palmeira (Sismup), Cezar Ruzin, e dos vereadores Marcos Ribas e João Alberto Gaiola.

Estamos convencidos de que a gestão municipal, assim que notificada, vai apresentar um plano de ação. Demos um prazo de quatro anos para a questão ser solucionada, pois sabemos das limitações dos municípios e nesse tempo eles podem se adequar. Para tranquilizar os profissionais, acompanharemos esse plano de ação e garantimos que vocês não serão penalizados nesse período de transição por continuarem executando a função. Não podemos parar de dispensar medicamentos de um dia para o outro, pois temos que pensar no bem dos usuários da rede pública”, disse o vice-presidente do CRF-PR.

A presidente do Coren-PR também garantiu que durante o período de transição, ninguém será punido pelo ato de dispensar medicamentos. “Estamos em uma profissão de risco. Claro que se houver um erro com sequela ao paciente, responderemos eticamente, pois estamos sujeitos a isso. Sempre foi assim em nossa profissão e sempre será. Porém fiquem tranquilos e podem continuar realizando o ato de dispensação como vocês sempre fizeram”, destacou ela.

Mantém

Já a secretária de Saúde esclareceu que o Plano de Ação do Município está praticamente pronto e pode ser entregue ao CRF-PR até 60 dias após a notificação. “Atualmente é impossível contar com um farmacêutico para cada unidade de saúde. Estudamos manter a dispensação de medicamentos na farmácia Central e abrir mais duas farmácias satélites, que devem ficar nas unidades de saúde localizadas no Parque dos Papiros e no Rocio. Também estamos pensando em como resolveremos a situação na área rural”, disse ela, que também deu o veredito da Secretaria de Saúde para os servidores municipais. “O Município manterá a dispensação de medicamentos pelos profissionais de enfermagem nas unidades de saúde normalmente, como já é feito atualmente. Temos o respaldo do CRF-PR e do Coren-PR para continuar até que estejamos adaptados a nova lei, dentro do prazo estabelecido”, finalizou.

Comentários

comentários

Publicidade

Curta nossa Página