mau-gosto

Cartazes falsos causam transtorno a moradora de Palmeira

Uma das moradoras de Palmeira está envolvida em uma situação constrangedora que vem acarretando diversos problemas pessoais e sociais. A jovem que prefere não ter a identidade revelada, e vamos nos referir a ela pelo nome de “Maria”, teve cartazes colocados pelas ruas da cidade, onde informam que esta esteja procurando relacionamentos.
Segundo a vítima, isso não foi realizado por ela, alguém de má fé tentou fazer uma brincadeira de “mau gosto”. “Eu já possuo um relacionamento e estou bem com ele, não iria atrás de outro e ainda mais dessa forma”, ressalta.
Para “Maria” o problema vai muito além do constrangimento, a jovem precisou mudar número de telefone. “As pessoas acham engraçado e acabei me tornando um motivo de piada na sociedade. Até pessoas de outras cidades que passaram pela rodoviária tiraram foto do anúncio e postaram em redes sociais, disseminando ainda mais o constrangimento”, conta ela.
Segundo o código de postura municipal o artigo 87 da lei n° 2274/2003 no inciso quarto é extremamente proibido a colocação de cartazes em vias públicas quando sejam ofensivos à moral e aos bons costumes, ou contenham dizeres desfavoráveis a indivíduos, crenças ou instituições, com isso, Maria utilizará das câmeras de segurança para ter acesso as imagens e realizar o boletim de ocorrência sobre o ato.
O ato ocorrido é considerado crime que infringe os direitos humanos, segundo a assistente social, Marcia Regina Wansovicz, quando ocorre esses casos é necessário se dirigir até a delegacia mais próxima para que seja realizado a denúncia, que será investigada e o autor será indiciado e cumprirá pena determinada pela juíza. “A polícia investiga e conforme a sentença determinada pela juíza, o autor do crime pode prestar serviço social ou pagar em cestas básicas, mas será punido de alguma forma sim”, finaliza.
No STF, o banco de jurisprudência reúne milhares de casos sobre constrangimento moral, que vão desde falsos registros em cadastros de devedores, passando por notícias inconvenientes em jornais e revistas.

Comentários

comentários

Publicidade

Curta nossa Página