CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA INFLUENZA COMEÇA NA PRÓXIMA SEGUNDA-FEIRA

Começa na próxima segunda-feira (23) a Campanha de Vacinação contra a Influenza 2020. A imunização, que costuma ser feita em abril, foi antecipada por conta da pandemia do coronavírus. A campanha segue até o dia 22 de maio, com o dia D de mobilização nacional marcado para 9 de maio. O objetivo da antecipação da campanha é evitar o aumento de doenças respiratórias e a sobrecarga do sistema de saúde, já em alerta por conta da epidemia de de gue no Paraná e o alerta com o novo coronavírus. A vacina que protege contra o vírus que causa a gripe estará disponível em todas as unidades de saúde.

O enfermeiro Jean Carlos das Almas, do setor de Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde da Prefeitura de Palmeira, confirma que a campanha de vacinação começa na próxima segunda-feira no município. Ele destaca que apenas as pessoas com mais de 60 anos e os profissionais de saúde receberão a vacina nesta primeira fase, para proteção contra três subtipos do vírus Influenza.

A vacina contra a gripe não diminui o risco de contágio por coronavírus, mas o principal objetivo da imunização vacinação contra a gripe é reduzir as complicações, internações e, principalmente, a mortalidade decorrente das infecções causadas pela influenza”, explica o secretário da Saúde do Paraná, Beto Preto. “Neste momento, facilitará a definição do diagnóstico de pacientes com suspeita de adoecimento pela Covid-19”, afirma o secretário.

Neste ano, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza será em três fases, com grupos prioritários distintos. O primeiro grupo a receber vacina são os idosos, a partir de 60 anos e os profissionais da área da saúde.A decisão é mais uma medida de proteção a esses públicos, em especial aos idosos, que dependendo da gravidade da doença respiratória podem apresentar riscos de complicações evoluindo, inclusive, para o óbito”, alerta Beto Preto.

A segunda fase inicia a partir do dia 16 de abril e abrangerá professores das escolas públicas e privadas, profissionais das forças de segurança e salvamento, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais. Já a terceira e última fase terá início no dia 9 de maio, abrangendo crianças de seis meses a menores de seis anos, gestantes; mulheres que tiveram parto recente (puérperas), povos indígenas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas, presos, funcionários do sistema prisional e adultos de 55 a 59 anos, que neste ano também fazem parte do grupo prioritário.

A meta de cobertura vacinal é de 90% de cada grupo prioritário. No Paraná, cerca de 3,9 milhões de pessoas fazem parte destes grupos. O primeiro quantitativo de vacinas enviadas pelo Ministério da Saúde ao Paraná perfaz um total de 522 mil doses. Já foram encaminhadas para todas as Regionais de Saúde do estado, que farão a distribuição aos municípios.

Números

Os números de gripe atualizados nesta quarta-feira (18) pela Secretaria Estadual da Saúde mostram que de janeiro até agora, o Paraná registrou 378 casos notificados de Influenza. Destes, 27 foram confirmados e cinco pessoas foram a óbito, todos por Influenza do tipo H1N1. Os casos de morte ocorreram em Cornélio Procópio (1), Ponta Grossa (2 – incluindo a morte da professora Leila Macedo Ribas, em 1º de fevereiro, que residia em Palmeira), Campo Largo (1) e Matinhos (1).

Para a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Secretaria da Saúde, Maria Goretti David Lopes, os dados indicam que o vírus da gripe está circulando no Paraná, e que por isso, as pessoas precisam além de tomar a vacina, adotar as medidas preventivas.

A vacina contra a gripe é extremamente segura e eficaz. Além disso, outras medidas de prevenção como a higienização das mãos, uso do álcool gel, manter os ambientes bem ventilados e utilizar lenços descartáveis ou cobrir o nariz e a boca ao espirrar ou tossir são essenciais para prevenção”, ressalta.

A Influenza é uma infecção viral aguda do sistema respiratório, altamente transmissível. Os sintomas são febre alta, dores musculares, dor de cabeça e dor de garganta. Se não for tratada, pode provocar complicações, evoluir para pneumonia e provocar até a morte. A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada, ao falar, ao tossir ou no contato pelas mãos.

Sarampo

Jean Carlo informou, ainda, que foi prorrogada a vacinação contra o sarampo. A imunização contra esta doença será concomitante com a vacinação contra a gripe, aproveitando a ida da população aos postos e unidades de saúde. A prorrogação segue orientação do Ministério da Saúde e agora a vacinação contra a doença será indiscriminada, para pessoas de 20 a 49 anos. O público-alvo, no momento, são pessoas de 20 a 29 anos, segundo explica , o enfermeiro, independente de terem recebido uma ou duas doses, precisam receber uma dose de reforço contra a doença.

Segundo a diretora de Vigilância e Atenção em Saúde da Secretaria de estado da Saúde, “a prorrogação do prazo da vacinação contra o sarampo é estratégica e foi definida como forma de ampliar o acesso do público à imunização. O vírus que transmite a doença está presente no estado e precisamos interromper a circulação”.

Entre 10 de fevereiro a 13 de março, a campanha nacional de imunização contra o sarampo foi dirigida ao público de 20 a 29 anos e neste momento estamos ampliando para 20 a 49 anos. O objetivo é atingir uma maior cobertura vacinal da população paranaense”, disse Maria Goretti.

Comentários

comentários

Publicidade

Curta nossa Página