Foto: Divulgação / Prefeitura de Palmeira
Foto: Divulgação / Prefeitura de Palmeira

Atividades do “Setembro Amarelo” destacam prevenção ao suicídio

 

Além de setembro ser marcado pela chegada da primavera, quando os galhos secos das árvores ganham cores e vida, demonstrando o início de um novo ciclo na natureza, também carrega o propósito na luta contra o suicídio, nomeado de “Setembro Amarelo”. Ao longo de todo mês atividades são realizadas com o intuito de conscientizar e alertar a população sobre sintomas de pessoas com indícios e interesse de cometer o ato.

Em Palmeira, a equipe do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), realizou atividades pelas ruas e escolas levando informação aos palmeirenses. Na última quinta-feira (21), equipe fez uma enquete junto às pessoas que transitavam pelas ruas centrais, baseada na pergunta: “Qual é seu problema hoje?”. O objetivo foi estimular as pessoas a conversarem mais e falar sobre suas dificuldades.

Como explica a coordenadora e pedagoga do CAPS, Marina Gross, o suicídio acontece pelo fato de a pessoa enfrentar diversos problemas e ver o término da vida como solução deles. “Quando a pessoa apresenta níveis de depressão ou problemas que agravam o seu sistema psicológico, acelera a vontade de se livrar da vida, pois crê ser a forma principal de exterminar com a dor que sente. Por isso, falar sempre é a melhor opção”, explica ela.

Já na sexta-feira (22) foi vez da Escola do Campo Pedro Gross Filho receber atividade do “Setembro Amarelo”, na qual professores e alunos puderam questionar e conversar sobre o assunto com a equipe do CAPS em uma roda de conversa.

Para finalizar as atividades será realizado um encontro nesta terça-feira (26), às 8h30, na praça Marechal Floriano Peixoto com atividade física e caminhada ao longo da rua Conceição. “A atividade física é a melhor forma de levantar a auto-estima e garantir maior satisfação, portanto escolhemos a realização de uma atividade como essa pra garantir uma ação que cause prazer nos participantes, sem deixar de chamar atenção para o assunto”, explica Marina.

Comentários

comentários

Publicidade

Curta nossa Página