Foto: Divulgação / Prefeitura de Palmeira
Foto: Divulgação / Prefeitura de Palmeira

Agrinho Municipal premia melhores iniciativas pedagógicas de 2017

 

A Secretaria de Educação da Prefeitura de Palmeira em parceria com o Sindicato Rural de Palmeira e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) realizaram a solenidade de premiação do Projeto Agrinho Municipal, na quinta-feira (16). O objetivo do projeto foi incentivar alunos e professores das escolas municipais da cidade e do campo a produzirem iniciativas sustentáveis e inovadoras.

As práticas pedagógicas ultrapassavam o ambiente escolar, sendo aplicadas nos diversos âmbitos da sociedade, seja especialmente na educação como no caso do Agrinho ou também na saúde, sustentabilidade, sociabilidade, cooperação, meio ambiente e demais seguimentos.

Como citado pela secretária Carla Marcondes de Albuquerque, o projeto vai além de uma atividade extracurricular, pois passa a ser uma forma de transformação futura da família, comunidade, sociedade e mundo. “Temos orgulho em ter uma comunidade escolar tão comprometida. Todos deram seu melhor, por isso são dignos de nosso reconhecimento e gratidão, pois estão fazendo a diferença para todos os que estão ao redor”, enfatizou a secretária.

Complementando a fala, Luiz Francisco Belich, presidente do Sindicato Rural, falou sobre a importância do projeto ser realizado nas etapas de base, onde as crianças estão inseridas. “As crianças são parte do futuro. Sementes importantes a serem cultivadas. Sem elas qual seria a perspectiva de vida? A essência de dias melhores está nelas”, complementou.

Agrinho Municipal

O projeto foi elaborado e desenvolvido diretamente pela Secretaria de Educação, através da ótica encontrada dentro do município e realidade na qual os alunos e professores estão inseridos. Abrangendo alunos das fases de ensino fundamental e especial, de 2º a 5º ano, a proposta era incentivar novas práticas pedagógicas aos professores que puderam olhar além da janela da sala de aula. Ao todo foram 12 práticas pedagógicas inscritas e executadas pelas educadoras.

Desta forma, pais e comunidade ganharam maior participatividade e os alunos também puderam acompanhar e executar experiências para melhorar seu ambiente. Com entusiasmo, Andresa Ucoski, mãe de um dos alunos, ressaltou que as professoras estão de parabéns por permitir mais interação de pais com o ambiente escolar. A aluna, Lorena Stacoviaki destacou a experiência vivida por ela e demais colegas, que, segundo ela, proporcionou um aprendizado de forma divertida sobre alimentação, que garante maior saúde para ela e familiares.

Premiação

Além das 12 práticas pedagógicas, outros 18 desenhos de alunos e 64 redações sobre a temática “Dependência campo e cidade” foram inscritos no projeto.

A pedagoga do Departamento Técnico do sistema Senar/Faep, Josimeri Aparecida Grein, ressaltou a excelência de qualidade e compatibilidade com a proposta lançada. “Muitas vezes quando esses trabalhos chegam até nossa equipe em Curitiba passam despercebidos por falta de compreensão sobre o ambiente de realidade onde os elaboradores estão. Fazer um projeto exclusivo do município possibilitou enxergar a essência e vitalidade dada por cada um dos envolvidos”, disse a pedagoga.

Uma comissão composta por diversas pessoas ligadas aos variados segmentos, como educação, assistência social, saúde, representantes do sistema Senar, Sindicato Rural e comunidade em geral foi composta para escolher os melhores trabalhos.

Confira como ficou a colocação dos alunos em cada categoria:

 

Categoria

Desenho

Redação – 2º Ano

Redação – 3º Ano

Redação – 4º Ano

Redação – 5º Ano

1º Lugar

Ayron Kivietcoski

(Escola de Colônia Maciel)

Eliel Ferreira Borges

(Escola N. Sra. do Rocio)

Larissa Schweigrt

(Escola Ida Albach)

Jordana Gabriela da Silva Antunes
(Escola Anna Ferreira de Freitas)

Gabrielli Salles Borges

(Escola Gabriel Prestes)

2º Lugar

Leonardo de Lima Barzcz
(Escola Eurides Teixeira)

Kaique Gustavo Borges

(Escola Clotário Santos)

Nathalia Sequinely

(Escola de Colônia Maciel)

Isabella de Souza de Jesus

(Escola Gabriel Prestes)

Gabrielli Neves Hornes
(Escola Eurides Teixeira)

3º Lugar

Rafhael Hartman Krinski
(Escola Ida Albach)

Melissa Kramneck Mayer

(Escola Ida Albach)

Maria Eduarda de Sá Ribas

(Escola de Witmarsum)

Murilo Meneguel

(Escola Eurides Teixeira)

Leonardo Cezar Jantara
(Escola Anna Ferreira de Freitas)

agrinho-municipal-professoras

Além dos alunos, as professoras com as três melhores práticas pedagógicas foram premiadas. O primeiro lugar foi da professora Tabita Vanussa, representando o CMEI Alderico Viante, seguido da professora Mariza de Santa Clara, também docente do CMEI Alderico Viante, e em terceiro a professora Regina de Freitas Barauce, da Escola Gabriel Prestes.

Comentários

comentários

Publicidade

Curta nossa Página