Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Agricultor de Palmeira é homenageado em evento na Assembleia Legislativa

 

Durante a sessão plenária de terça-feira (19) da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), aconteceu cerimonia em alusão ao Dia Internacional da Paz, instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) e comemorado anualmente no dia 21 de setembro. A proposta do ato foi feita pelo deputado Péricles de Mello (PT), secretário-geral do Conselho Parlamentar pela Cultura de Paz do Estado do Paraná (ConPaz), e homenageou 25 instituições e personalidades que atuam na promoção da tolerância e cultivam princípios de fraternidade e rejeição à violência. Entre os homenageados estava o agricultor palmeirense Roberto Gurski.

A homenagem a Gurski aconteceu por indicação do deputado Péricles de Mello (PT), extensiva à agricultura familiar do Paraná, em reconhecimento à produção de alimentos saudáveis aliada à preservação ambiental. 

De acordo com o deputado, as homenagens são lembranças de ações que marcaram pela espiritualidade, tolerância religiosa, pelo trabalho de entidades de proteção ao meio ambiente, ligadas à questão da igualdade dos direitos entre gêneros ou de proteção aos portadores de necessidades especiais, entre outras. “Num mundo assolado pela violência a expressão-chave é cultura de paz’, um conceito moderno que enfrenta graves questões por que passa a humanidade, como racismo, intolerância, homofobia, drogadição ou homicídios. A cultura de paz propõe que estes conflitos sejam transformados de forma pacífica, que acontece quando as relações são humanizadas”, explicou.

Um dos homenageados, Hélio de Moraes e Marques, grande mestre da Jurisdição da Língua Portuguesa da Ordem Rosa Cruz, falou em nome dos demais. Segundo ele são práticas da ordem ações como a erradicação da pobreza com base nos princípios da cultura de paz. “Isso vem sendo feito há muitos anos e recebemos com honra esta homenagem em nome da Ordem Rosa Cruz”, afirmou.

Para Olivia Braschi, coordenadora do curso de pós-graduação de conflitos e estudo da paz do Instituto Paz e Mente, a cultura da paz é um exercício diário de tolerância e fraternidade. “Não é algo que se atinja assistindo a uma aula, ou que se decrete através de lei. É algo que está dentro das pessoas e na forma como elas escolhem para se relacionar. Isto resulta em um bem-estar coletivo, em uma sociedade mais pacífica e harmoniosa”, explicou.

Comentários

comentários

Publicidade

Curta nossa Página