Vereadores da comissão aguardaram sem sucesso o depoimento de Alex Pacheco (foto: Divulgação / Câmara Municipal de Palmeira).
Vereadores da comissão aguardaram sem sucesso o depoimento de Alex Pacheco (foto: Divulgação / Câmara Municipal de Palmeira).

Câmara pede que Polícia Civil investigue suspeita de perfil falso no Facebook

 

propaganda-superior-site-super-otica

 

A comissão especial da Câmara Municipal que foi instituída para apurar denúncias feitas na rede social Facebook contra a Santa Casa de Palmeira pediu que a Polícia Civil, através do Núcleo de Crimes Cibernéticos, investigue se Alex Pacheco é um perfil falso na rede social Facebook. Ele é um dos denunciantes do hospital e não identificado nem localizado para receber convocação para prestar depoimento perante a comissão.

Na manhã de quinta-feira (7), a comissão especial fez a tomada de depoimento de um dos denunciantes, Jéferson Luiz Pereira. O segundo denunciante, Alex Pacheco, não foi identificado nem localizado para receber pessoalmente a convocação para depor. Ele seria ouvido no período da tarde, o que acabou não acontecendo.

A ausência de Pacheco deixou ainda mais forte suspeita de que se trata de um perfil falso na rede social e, quanto a isto, a comissão e a própria Câmara pediram providências legais junto à 40ª Delegacia Regional de Polícia de Palmeira pela identificação do responsável por este suposto perfil falso.

Quanto ao primeiro denunciante ouvido, ele teria confirmado algumas afirmações que fez no Facebook, mas também teria reconhecido que exagerou em outras. O denunciante já havia entregue para a comissão um relatório e uma série de documentos, os quais serão analisados pelos vereadores João Alberto Gaiola (PDT), Marcos Ribas (PSDB) e Denis Sanson (Democracia Cristã), integrantes da comissão especial.

A próxima atividade da comissão é ouvir, na próxima sexta-feira (15), como colaboradores, pelo menos três médicos e outras pessoas que foram citadas nas denúncias. Cabe à Câmara Municipal fazer a entrega das convocações pessoalmente e programar os horários dos depoimentos para a comissão especial.

Ministério Público

Por outro lado, o Ministério Público da Comarca de Palmeira iniciou procedimento de investigação sobre fatos denunciados, aparentemente semelhantes aos que estão sob apuração pela comissão especial da Câmara.

O promotor Antônio Carlos Nervino já requereu à Prefeitura de Palmeira documentação relativa ao convênio mantido com a Santa Casa e os registros de controle da carga horária do médico Techarles John Czelusniak, que é também citado nas denúncias que são investigadas pela comissão especial da Câmara.

Ao Tribunal de Contas do Estado (TCE), o Ministério Público em Palmeira solicitou o encaminhamento de documentação referente a contratações realizadas por prefeituras do Paraná, a partir de 2013, que envolvem serviços médicos, inclusive de outros profissionais, como dentistas, enfermeiros, psicólogos, fisioterapeutas e outros.

Da mesma forma, requereu também relação de licitações vencidas pelas empresas Atena Serviços Médicos, Hera Serviços Médicos e Hygea Gestão e Saúde. Ainda, determinou a convocação do diretor clínico da Santa Casa, o médico Fabiano Cândido de Paula, para ser ouvido, no mês de março, a respeito de assuntos denunciados.

Comentários

comentários

Publicidade

Curta nossa Página